09/03/16

JOÃO PORFÍRIO É PROCESSADO MAS A JUSTIÇA NÃO CHEGA


Enquanto o país entra na convulsão provocada pelas investigações e prisões da Operação Lava-Jato (capitaneada pelo Juiz Federal Sérgio Moro) pela qual  os maiores figurões desse país, alguns até bilionários como o Marcelo Odebrecht e até senadores (Delcídio do Amaral e ex-senador Luiz Estevam, deputados, marqueteiro, etc.) estão sendo punidos com prisões , enchem-nos de alento e nos levam a crer  - como nunca antes na história desse país”, que agora sim a corrupção será enfim definitivamente combatida e   debelada com rigor nesta pátria.

Nessa cruzada da nossa “operação mãos limpas”, cumprem admirável  ainda combatividade e zelo  o Ministério Público Federal  e Polícia Federal.

Isto no âmbito dessas operações, porque nos rincões deste país  Senhores e Senhoras,  a justiça pública brasileira continua  arrastando-se claudicante como antes no quartel de Abrantes,  ou seja , punindo apenas os pobres que praticam crimes de pobres, aqueles violentos ou de baixa monta, porque, quanto  a maciça impunidade dos chamados ditos do colarinho branco e do baronato dos milhões,  a despeito de Operação Zelotes, Acrônimo, e outras, alvíssaras pela evidente melhora, apenas provam que estamos anos muitos do ideal Estado Democrático no qual todos deveras devemos ser tratados com igualdade perante a  lei.

Vejamos  o caso de Pilão Arcado, as denúncias e mais denúncias contra mais de 40 pessoas envolvidas, mostradas  até em rede nacional de televisão, representações  e tudo não foram capazes  de mover a pesada - e lerda - máquina do Estado Juiz para punir ou mesmo deter o catastrófico governo de Joãozinho Porfírio que continua livre, leve e solto praticando as mesmas traquinagens de antes.

O Ministério Público Estadual, pelo promotor que assiste na comarca, é uma vergonha. 

Nenhuma ação civil pública, nenhum inquérito instaurado, nada, nada, nada para apurar os desmandos do laranjal de Porfírio. As condenações contra ex-prefeitos para restituição ao erário (ás dezenas) lá mofam nos escaninhos das prateleiras do cartório, enquanto o promotor assiste o desconserto com o mesmo zelo de Nero na sacada do palácio assistindo a Roma arder em chamas. Pilão Arcado merece  e precisa de um verdadeiro fiscal da lei.

Já o  Ministério Público Federal  não deve, parece, ter interesse  suficiente ou  tempo para Pilão Arcado,  a despeito  dos muitos milhões em verbas federais  desviados para a baixa da égua do esquema que tanto falta fazem á educação e saúde,  afinal  na nossa  Bahia são 417 municípios com  a maior parte deles praticando as mesmas barbaridades administrativas.

O Tribunal de Contas dos Municípios por sua vez,  é pouco (ou nada) eficiente. Julga, aprova ou reprova as contas municipais, “com ressalvas”, condena e tudo continua afinal do jeito sem nenhuma mudança: condenações para ressarcimento de desvios e multas que que jamais serão pagos.

Acredite, dia desses Porfírio teve as contas de 2014 "aprovadas com ressalvas" e isto apesar de não ter "devolvido" ao erário quase dois milhões de reais desviados da educação. Por este exemplo avalie você a seriedade dessa "Corte de Contas".

O Tribunal de Contas da União esteve duas vezes em Pilão Arcado nos últimos meses, não viu boi nem boiada,  e pelo visto ou não visto tampouco descobriu  a creche inacabada do Calangão em obras há seis demorados  anos,  com verbas federais; o posto de Saúde da Lagoa do Padre, há três anos, idem,  e pelo visto também não viu os contratos ás pencas que servem apenas para drenar os recursos públicos da saúde e educação, como se fosse nada.

A Polícia Federal ao seu turno, presumo cá com meus botões que deva deve estar investigando com suas dificuldades e limitações os inquéritos que tramitam da  “vala comum”  para a provável vala do esquecimento sem o apoio institucional da falta que um  juiz federal corajoso faz.

Com tudo isso parece que o ferrabrás  (que manda há 26 anos)  está mesmo vencendo em Pilão Arcado,  certo da impunidade e mais certo ainda que elegerá o seu sucessor para continuar com a bandalheira costumeira.

Olhem só esse processo no Tribunal Regional Federal, contra o prefeito Porfírio,  há oito meses aguardando julgamento. Oito meses.

Sendo assim, como um Dom Quixote contra os moinhos de vento, registrei reclamação perante o Corregedor do Tribunal Regional Federal 1ª. Região,  em Brasilia-DF.




 _____________________________________________________________________________________________

Processo:
0016782-63.2013.4.01.0000
Nova Numeração:
0016782-63.2013.4.01.0000
Grupo:
IP - INQUÉRITO POLICIAL
Assunto:
3604 - CRIMES DE RESPONSABILIDADE
Data de Autuação:
30/01/2015
Órgão Julgador:
SEGUNDA SEÇÃO
Juiz Relator:
DESEMBARGADOR FEDERAL OLINDO MENEZES
Processo Originário:
00.00.15201-3152013/JZR
Movimentação
Data
Cod
Descrição
Complemento
16/06/2015 15:11:00 
70909
CONCLUSÃO PARA DESPACHO/DECISÃO
16/06/2015 15:09:00 
221100
PROCESSO RECEBIDO
NO(A) GAB. DF OLINDO MENEZES
15/06/2015 16:45:00 
220350
PROCESSO REMETIDO
PARA GAB. DF OLINDO MENEZES
12/06/2015 16:57:27 
180200
PETIÇÃO JUNTADA
nr. 3661429 PETIÇÃO
09/06/2015 14:40:05 
180200
PETIÇÃO JUNTADA
nr. 3658011 DEFESA PRÉVIA
01/06/2015 17:39:00 
180500
DOCUMENTO JUNTADO
AR REF. AO OFÍCIO 909/2015
14/05/2015 17:41:00 
140800
OFICIO EXPEDIDO
909/2015



Este é um e-mail automático.

Seu contato foi recebido pela OUVIDORIA/TRF1 e registrado no Processo Administrativo 0004974-15.2016.4.01.8000 (Reclamação).

A resposta será encaminhada, com a maior brevidade possível, para este endereço de e-mail.

> Formulário de Ouvidoria
> 
> Data de Envio: 
> 09/03/2016 11:11:36
> 
>
> 
> E-mail: 
> palm-adv@hotmail.com
> 

> Estado: 
> BA
> 
> Deseja Retorno: 
> Sim
> 
> Mensagem: 
> 
> 0016782-63.2013.4.01.0000
> Ilustre Desembargador Corregedor
> 
> Conta do processo em epígrafe, Ministério Público Federal em face do alcaide João Ubiratan Queiroz Lima, que há seis meses aguarda julgamento nesta Corte Federal no gabinete do Ilmo Des Relator Olindo de Meneses, tempo muito acima do ideal para uma “razoável duração do processo” nos termos da Carta Magna, inciso LXXIII.
> 
> Solicito a V.Exa que envide os necessários esforços para alertar o Des. Relator para que se atente ao fato de que o caso em comento requerer mais dedicada atenção, dado ao fato de que o increpado réu é gestor que deu causa a reportagem veiculada na TV em todo o Brasil (TV Record, programa Câmera Record, laranjas do sertão. *(https://www.youtube.com/watch?v=eaMIDvTVKzA)
> 
> Senão por este fato, dado que juiz algum deva julgar em razão da atuação da imprensa ou do clamor popular, o fato incontroverso é que , sem julgamento e sem punição do Estado Juiz, o indigitado gestor pratica ainda na sua gestão desmandos e atos de improbidade de toda ordem, massacrando uma população inteira de mais de 34 mil pessoas.
> Isto posto, requeiro,
> 
> Para que V. Exa expeça advertência ao Ilmo Des. Relator para que lavre seu voto e leve o feito a julgamento.
> Perez Luiz Mangueira
> Advogado, filho de Pilão Arcado.




Tribunal e Contas dos Municípios do Estado da BahiaPrefeito de Pilão Arcado é denunciado ao Ministério Público

25 de agosto de 2015

Os conselheiros do Tribunal de Contas dos Municípios decidiram na sessão de hoje (25.08), denunciar o prefeito de Pilão Arcado, João Ubiratan Queiróz Lima, ao Ministério Público Estadual por conta de suspeitas de ilícitos penais e civis na administração de recursos do Fundef/Fundeb, que foram utilizados em ações estranhas às finalidades definidas em lei. O prefeito foi ainda multado em R$4 mil por conta das irregularidades apuradas em termo de ocorrência aberto por técnicos do TCM.
O prefeito recebeu a determinação de devolver às contas do Fundeb/ Fundef, no exame das contas relativas a 2012, um total de R$2.058.789,69, em 30 parcelas mensais, e a ignorou, “ fez ouvido de mercador”, segundo o relator. João Ubiratan Lima chegou a assinar termo de compromisso para restituir os recursos desviados, mas efetuou apenas o depósito de uma das 30 parcelas acordadas, no valor de R$68.626,32. Logo depois apresentou um novo no plano de devolução, agora em 24 meses, e novamente só cumpriu o recolhimento da primeira parcela, de R$85.782,90.
“Essa situação indica que os indigitados planos de devolução não passaram de mera cortina de fumaça para disponibilizar momentâneo subsídio à defesa do termo de ocorrência, nada mais que isso. O gestor não deu consequência prática ao quanto entabulado mediante recolhimento mensal das parcelas acordadas, de sorte que ainda restam a ser comprovada a devolução de nada menos que R$1.904.380,47”, destacou o relator, conselheiro Plínio Carneiro Filho.
Agora, além de exigir a devolução dos recursos dos fundos em 24 parcelas mensais, o TCM denunciou o gestor ao Ministério Público Estadual e o advertiu de que suas contas futuras poderão ser rejeitadas, caso não cumpra o determinado.
Cabe recurso

08/03/16

8 DE MARÇO, DIA DA MULHER


NÃO É BOM QUE O HOMEM ESTEJA SÓ...


Se Deus, do alto de sua Onipotência, Onisciência e Onipresença  concluiu que não é bom que o home esteja só, razões de sobra há de ter pra tal  haver em grande conclusão.[

Ora, Deus sabe que  uma mulher é a companhia necessária ao homem para lhe meter conselhos na cabeça dura e lhe dar palpites em tudo,  com sua sensibilidade divina, feminina, especial,  porque sabe que sem uma mulher ao lado  (ou ás costas ou á frente)o homem é um perigo tal qual uma besta sem cabrestos.

Mas se você não sabe, essa data de 8 de março não foi criada para celebração da criação divina ou para decantação da beleza feminina, no que andaria bem. Não, não foi inventada como o dia dos namorados, das mães ou dos pais. Não, não foi criada por alguma câmara de comércio para vender mais.

Essa data, Senhores e Senhores, foi escolhida em razão do sangue de mulheres que foi derramado na peleja por justiça e direitos iguais quando 130 delas morrem ao ocupar  uma fábrica nos Estados Unidos  para reivindicar igualdade de direitos. Era o ano de 1857.

Contudo, passado tanto tempo e tantas coisas  como a revolução do conhecimento e tudo, e apesar de Deus, da vida  e das obviedades , há ainda há bestas bípedes querendo diminuir o valor da mulher, como se tal fosse possível!

Mas essas tais bestas, filhos de uma mãe, de mãe não parece que de deveras  são.

Eu, que sou filho de uma, pai de uma, e irmão de sete, me sinto bem aventurado como um bendito entre as mulheres.


Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele. Gênesis 2:18.
Feliz dia da mulher!

PerezLuizMangueira, 8 de março de 2016.

24/02/16

CRECHE SANTO ANTÔNIO PODERÁ FECHAR AS PORTAS EM PILÃO ARCADO


A figura ímpar, honrada  e admirada  do Padre Guilherme, homem de Deus e unanimidade para todos nós, que veio da Alemanha para servir ao povo de Pilão Arcado há quarenta anos  com incondicional amor, (como  o fez a missionária batista  Marjorie May Browning, falecida aos 82 ANOS, ao ir para Nova Holanda, interior de Pilão Arcado)  não tem sido o bastante e a  creche Santo Antônio, menina dos seus olhos, poderá fechar as portas;

O precioso ensino de educação infantil e  fundamental que é ministrado atualmente para 570 crianças   na cidade de Pilão, e 15 no povoado de  Baluarte/Feijão (170 km da sede)  onde os filhos dos pilaoarcadenses recebem esmerada dedicação e carinho, distribuídos em e 3 refeições durante o dia, - tudo totalmente gratuito -   não é o bastante, e a creche Santo Antônio poderá fechar as portas;

Essa bem aventurada história da creche Santo Antônio, iniciada no ano 1983, hoje com 33 anos, construída  com suor lágrima para a qual congregaram  o esforço inestimável de Padre Guilherme, a ajuda insusceptível de valoração dos irmãos e amigos da Alemanha e a devoção laboriosa dos filhos de Pilão que nela trabalham,  infelizmente não estão sendo suficientes, e a creche Santo Antônio corre o risco de fechar as portas, encerrando suas atividades;

A labuta diária de 22 consagrados professores, 5 devotados servidores dos serviços de limpeza, de 4 esmerados funcionários na cozinha, de 3 da direção e de 2 solertes da vigilância, podem não ser o suficiente, e , conforme carta endereçada á sociedade subscrita pelo Padre Guilherme e seu braço direito, Cloves  Duarte, alertam, a creche Santo Antônio corre o risco de ser obrigada , por absoluta falta de condições, a fechar as suas  portas;

Mas por que essas portas de esperança que se abrem preparando  o futuro há 33 anos para os pequeninos pilãoarcadenses  serem instruídos no  caminho (no qual se deve andar) corre o risco de fecharem-se num ato final de quase trágica melancolia?

(Carta do Padre Guilherme endereçada á população participando o drama da Creche)

Correm o risco de fecharem-se porque os recursos financeiros e materiais estão escassos e os custos com salários, encargos, alimentação, manutenção, água, luz, telefone estão comprometendo a continuidade da prestação dos serviços educacionais;

Correm o risco de fecharem-se porque um dos seus principais parceiros, a prefeitura de Pilão Arcado,  que tem   obrigação legal, moral e social para com a Creche e o povo de Pilão Arcado – educação é dever do Estado/prefeitura - , não tem cumprido  o convênio assinado e vigente (existente há muitos anos) pelo qual, mensalmente,  deveria repassar  contribuição 8 parcelas de  R$ 20.000,00 ao mês. (valor ainda assim insuficiente para custeio da folha de pagamento).

(informações dão conta que, das oito parcelas, a prefeitura fez o repasse regular de apenas duas , o que fez o Padre Guilherme expor-se em redes sociais pedindo ajuda.

Por estes motivos há o risco de a Creche Santo Antônio fechar suas portas!

E o que nos resta,portanto? resta-nos  saber  se os pilãoarcadenses   lutarão ou não  por sua creche, agora, neste momento, ou preferirão, descansando em berço esplêndido da indiferença,  esperar pra ver no que dará!

Resta-nos  saber se o capítulo de tão grandiosa história da  creche Santo Antônio será tão melancólico  e triste quanto se anuncia!

Resta saber se deixarão o valoroso Padre Guilherme sofrer essa frustração, ele que está de saída de Pilão Arcado depois de quase quatro décadas, e  ver encerradas as portas da creche que viu nascer!

Resta-nos  saber  se a prefeitura não cumprirá seu dever! Prefeito João Porfírio, onde está você?

Resta-nos  saber se os pais das crianças que lá estudam, e os que nem são pais, cruzando os braços, assistirão passivos o desdobramento dessa história.
(Missionária Marjorie, nos brejos).

Mas nesse tempo, de dúvidas e angústias em relação ao capítulo seguinte  uma obra cuja história teve sua  gestação no seio da igreja,  importa , primeiro, que tenhamos fé em Deus que nos garantiu em sua gloriosa palavra:


 “eis que diante de ti pus uma porta aberta, e ninguém a pode fechar; tendo pouca força guardaste a minha palavra  e não negaste o meu nome.
Apocalipse 3:8 “.

Importa também que coloquemos nossos corações nesta causa espantando o sono da indolência e da indiferença, fazendo-se necessário que procuremos a direção da creche Santo Antônio (especialmente os pais), para perguntar, o que poderei fazer, como poderei ajudar?

Importa que nos levantemos, e que levantemos a voz, rompendo as ataduras do medo e da ameaça, e uma vez de pé,  possamos reivindicar com voz altiva  o direito que essas  bem aventuradas crianças adquiriram, que é o direito sagrado (como de fato o recebem) de  um ensino de qualidade dotado do poder sobrenatural do conhecimento capaz  de aluminar seus caminhos por todas as suas vidas!.

Antes e depois de tudo, e esta é a palavra de ordem,   é fundamental que as portas da Creche Santo Antônio permaneçam abertas, como se deu ao longo desses 33 anos e como decerto  deve sempre ser e  acontecer com as portas de esperança em nossas vidas.

_________________________________________________________________________________


Termos do contrato de 2014 , dados de 2014. (sic).
A Escola Santo Antonio é uma Instituição Filantrópica que
presta serviço na área de educação infantil e autorizada para atuar no
Ensino Fundamental do 1º ao 9º ano, sendo administrada pela SAET -
Sociedade de Ações Educativas Sociais e Tecnológicas em parceria com
a Pastoral da Criança. Tem por finalidade: Amparar, cuidar, educar
crianças de mães pobres que educam sozinhas (mães solteiras), de
famílias pobres e carentes. Com objetivo principal de preparar as
crianças para a convivência em sociedade, atende em horário integral
das 8:00 às 16 horas e 30 minutos, Educação Infantil das 07:30 às
11:30, e das 13:00 às 17:00 horas no Ensino Fundamental, de
segunda a sexta-feira. A matrícula é facultada para qualquer criança
em idade pré-escolar e do Ensino Fundamental I, independente de
condição social, física, raça, cor ou religião. No entanto, é dada a
prioridade para as crianças em situação de extrema pobreza.
Atualmente atende 419 crianças e adolescentes,trabalha também com
30 adolescentes no Curso de Desenho e Escultura.
O quadro de funcionários está formado da seguinte forma: quatro
(04) funcionárias na limpeza, Três (03) merendeiras, dois (02) vigilantes,
vinte (20) professores, um (01) instrutor de cursos, um (01) diretor de

NUMERO DE CRIANÇAS ATENDIDAS POR TURMA, IDADE E GENERO:
TURMAS IDADE SEXO
JARDIM DA ALEGRIA 2 ANOS MASC: 27 FEM: 23
MENINO JESUS 3 ANOS MASC: 25 FEM: 25
BEIJA-FLOR 3 ANOS MASC: 27 FEM: 23
ARCO-ÍRIS 4 ANOS MASC: 24 FEM: 26
ARCA DE NOÉ 5 ANOS MASC: 23 FEM: 29
TURMA UNIFICADA VILA
BALUARTE
2 - 5 ANOS MASC: 12 FEM: 03
1º ANO ENSINO
FUNDAMENTAL
6 ANOS MASC: 10 FEM: 15
2º ANO ENSINO
FUNDAMENTAL
7 ANOS MASC: 09 FEM: 16
3º ANO ENSINO
FUNDAMENTAL
8 ANOS MASC: 12 FEM: 13
4º ANO ENSINO
FUNDAMENTAL
9 ANOS MASC: 13 FEM: 12
5º ANO ENSINO
FUNDAMENTAL
10 ANOS MASC: 17 FEM: 10
6º ANO ENSINO
FUNDAMENTAL
11 ANOS MASC: 16 FEM: 09
TOTAL DE ALUNOS 215 204 = 429
A Escola desenvolve atividades diversificadas, pois trabalha com:
encontros pedagógicos mensais, para capacitação, avaliação e
acompanhamento dos projetos propostos, para melhor aperfeiçoamento
Esta edição encontra-se no site: www.pilaoarcado.ba.io.org.br em servidor certificado ICP-BRASIL
Pilão Arcado
CERTIFICAÇÃO DIGITAL:
_
Praça Franklin Lins, S/N - Centro - Pilão Arcado – BA
C.N.P.J. 13.692.033/0001-91 - CEP.: 47.240-000
PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÃO ARCADO
global de R$ 160.000,00 (cento e sessenta mil reais), a ser repassado
mensalmente à SAET, à razão de R$ 20.000,00 (vinte mil reais).
Parágrafo Primeiro – O MUNICÍPIO DE PILÃO ARCADO, no processo
de acompanhamento e supervisão deste TERMO DE PARCERIA, poderá
recomendar a alteração de valores, que implicará a alteração do valor
global pactuado, tendo como base o custo relativo, desde que
devidamente justificada e aceita pelos PARCEIROS, de comum acordo,
devendo, nestes casos, serem cele



14/02/16

O MAIS BELO DISCURSO POLÍTICO DA HISTÓRIA

"Estou feliz em me unir a vocês hoje naquela que ficará para a história como a maior manifestação pela liberdade na história de nossa nação.
Cem anos atrás um grande americano, em cuja sombra simbólica nos encontramos hoje, assinou a proclamação da emancipação [dos escravos]. Este decreto momentoso chegou como grande farol de esperança para milhões de escravos negros queimados nas chamas da injustiça abrasadora. Chegou como o raiar de um dia de alegria, pondo fim à longa noite de cativeiro.
DISCURSO "EU TIVE UM SONHO", COM TRADUÇÃO:  
https://www.youtube.com/watch?v=fz_7luovxPc
Mas, cem anos mais tarde, o negro ainda não está livre. Cem anos mais tarde, a vida do negro ainda é duramente tolhida pelas algemas da segregação e os grilhões da discriminação. Cem anos mais tarde, o negro habita uma ilha solitária de pobreza, em meio ao vasto oceano de prosperidade material. Cem anos mais tarde, o negro continua a mofar nos cantos da sociedade americana, como exilado em sua própria terra. Então viemos aqui hoje para dramatizar uma situação hedionda.
Em certo sentido, viemos à capital de nossa nação para sacar um cheque. Quando os arquitetos de nossa república redigiram as magníficas palavras da Constituição e da Declaração de Independência, assinaram uma nota promissória de que todo americano seria herdeiro. Essa nota era a promessa de que todos os homens, negros ou brancos, teriam garantidos os direitos inalienáveis à vida, à liberdade e à busca pela felicidade.
É evidente hoje que a América não pagou esta nota promissória no que diz respeito a seus cidadãos de cor. Em lugar de honrar essa obrigação sagrada, a América deu ao povo negro um cheque que voltou marcado "sem fundos".
Mas nós nos recusamos a acreditar que o BTambém viemos para este lugar santificado para lembrar à América da urgência ferrenha do agora. Não é hora de dar-se ao luxo de esfriar os ânimos ou tomar a droga tranquilizante do gradualismo. Agora é a hora de fazermos promessas reais de democracia. Agora é a hora de sairmos do vale escuro e desolado da segregação para o caminho ensolarado da justiça racial. É hora de arrancar nossa nação da areia movediça da injustiça racial e levá-la para a rocha sólida da fraternidade. Agora é a hora de fazer da justiça uma realidade para todos os filhos de Deus.
Seria fatal para a nação passar por cima da urgência do momento e subestimar a determinação do negro. Este verão sufocante da insatisfação legítima do negro não passará enquanto não chegar um outono revigorante de liberdade e igualdade.Mil novecentos e sessenta e três não é um fim, mas um começo.
Os que esperam que o negro precisasse apenas extravasar e agora ficará contente terão um despertar rude se a nação voltar à normalidade de sempre. Não haverá descanso nem tranquilidade na América até que o negro receba seus direitos de cidadania. Os turbilhões da revolta continuarão a abalar as fundações de nossa nação até raiar o dia iluminado da justiça.
Mas há algo que preciso dizer a meu povo posicionado no morno liminar que conduz ao palácio da justiça. No processo de conquistar nosso lugar de direito, não devemos ser culpados de atos errados. Não tentemos saciar nossa sede de liberdade bebendo do cálice da amargura e do ódio.
Temos de conduzir nossa luta para sempre no alto plano da dignidade e da disciplina. Não devemos deixar nosso protesto criativo degenerar em violência física. Precisamos nos erguer sempre e mais uma vez à altura majestosa de combater a força física com a força da alma.
A nova e maravilhosa militância que tomou conta da comunidade negra não deve nos levar a suspeitar de todas as pessoas brancas, pois muitos de nossos irmãos, conforme evidenciado por sua presença aqui hoje, acabaram por entender que seu destino está vinculado ao nosso destino e que a liberdade deles está vinculada indissociavelmente à nossa liberdade.
Não podemos caminhar sozinhos.
E, enquanto caminhamos, precisamos fazer a promessa de que caminharemos para frente. Não podemos retroceder. Há quem esteja perguntando aos devotos dos direitos civis 'quando vocês ficarão satisfeitos?'. Jamais estaremos satisfeitos enquanto o negro for vítima dos desprezíveis horrores da brutalidade policial.
Jamais estaremos satisfeitos enquanto nossos corpos, pesados da fadiga de viagem, não puderem hospedar-se nos hotéis de beira de estrada e nos hotéis das cidades. Não estaremos satisfeitos enquanto a mobilidade básica do negro for apenas de um gueto menor para um maior. Jamais estaremos satisfeitos enquanto nossas crianças tiverem suas individualidades e dignidades roubadas por cartazes que dizem 'exclusivo para brancos'.
Jamais estaremos satisfeitos enquanto um negro no Mississippi não puder votar e um negro em Nova York acreditar que não tem nada em que votar.
Não, não estamos satisfeitos e só ficaremos satisfeitos quando a justiça rolar como água e a retidão correr como um rio poderoso.
Sei que alguns de vocês aqui estão, vindos de grandes provações e atribulações. Alguns vieram diretamente de celas estreitas. Alguns vieram de áreas onde sua busca pela liberdade os deixou feridos pelas tempestades da perseguição e marcados pelos ventos da brutalidade policial. Vocês têm sido os veteranos do sofrimento criativo. Continuem a trabalhar com a fé de que o sofrimento imerecido é redentor.
Voltem ao Mississippi, voltem ao Alabama, voltem à Carolina do Sul, voltem a Geórgia, voltem a Louisiana, voltem aos guetos e favelas de nossas cidades do norte, cientes de que de alguma maneira a situação pode ser mudada e o será. Não nos deixemos atolar no vale do desespero.
Digo a vocês hoje, meus amigos, que, apesar das dificuldades de hoje e de amanhã, ainda tenho um sonho.
É um sonho profundamente enraizado no sonho americano.
Tenho um sonho de que um dia esta nação se erguerá e corresponderá em realidade o verdadeiro significado de seu credo: 'Consideramos essas verdades manifestas: que todos os homens são criados iguais'.
Tenho um sonho de que um dia, nas colinas vermelhas da Geórgia, os filhos de ex-escravos e os filhos de ex-donos de escravos poderão sentar-se juntos à mesa da irmandade.
Tenho um sonho de que um dia até o Estado do Mississippi, um Estado desértico que sufoca no calor da injustiça e da opressão, será transformado em um oásis de liberdade e de justiça.
Tenho um sonho de que meus quatro filhos viverão um dia em uma nação onde não serão julgados pela cor de sua pele, mas pelo teor de seu caráter.
Tenho um sonho hoje.
Tenho um sonho de que um dia o Estado do Alabama, cujo governador hoje tem os lábios pingando palavras de rejeição e anulação, será transformado numa situação em que meninos negros e meninas negras poderão dar as mãos a meninos brancos e meninas brancas e caminharem juntos, como irmãs e irmãos.
Tenho um sonho hoje.
Tenho um sonho de que um dia cada vale será elevado, cada colina e montanha será nivelada, os lugares acidentados serão aplainados, os lugares tortos serão endireitados, a glória do Senhor será revelada e todos os seres a enxergarão juntos.
Essa é nossa esperança. Essa é a fé com a qual retorno ao Sul. Com esta fé poderemos talhar da montanha do desespero uma pedra de esperança. Com esta fé poderemos transformar os acordes dissonantes de nossa nação numa bela sinfonia de fraternidade. Com esta fé podemos trabalhar juntos, orar juntos, lutar juntos, ir à cadeia juntos, defender a liberdade juntos, conscientes de que seremos livres um dia.

Esse será o dia em que todos os filhos de Deus poderão cantar com novo significado: "Meu país, é de ti, doce terra da liberdade, é de ti que canto. Terra em que morreram meus pais, terra do orgulho do peregrino, que a liberdade ressoe de cada encosta de montanha".
E, se quisermos que a América seja uma grande nação, isso precisa se tornar realidade.
Então que a liberdade ressoe dos prodigiosos picos de New Hampshire.
Que a liberdade ecoe das majestosas montanhas de Nova York!
Que a liberdade ecoe dos elevados Alleghenies da Pensilvânia!
Que a liberdade ecoe das nevadas Rochosas do Colorado!
Que a liberdade ecoe das suaves encostas da Califórnia!
Mas não só isso --que a liberdade ecoe da Montanha de Pedra da Geórgia!
Que a liberdade ecoe da Montanha Sentinela do Tennessee!"
Que a liberdade ecoe de cada monte e montículo do Mississippi. De cada encosta de montanha, que a liberdade ecoe.
E quando isso acontecer, quando deixarmos a liberdade ecoar, quando a deixarmos ressoar em cada vila e vilarejo, em cada Estado e cada cidade, poderemos trazer para mais perto o dia que todos os filhos de Deus, negros e brancos, judeus e gentios, protestante e católicos, poderão se dar as mãos e cantar, nas palavras da velha canção negra, "livres, enfim! Livres, enfim! 

Louvado seja Deus Todo-Poderoso. Estamos livres, enfim!"

O ÚLTIMO DISCURSO DO PASTOR MARTHIN LUTHER KING
https://www.youtube.com/watch?v=lh_jOLC7DTI

04/02/16

EM PILÃO, DEZ PESSOAS ESTÃO SENDO ASSASSINADAS LENTAMENTE
















Se eu escolhesse o título, “ SOFRIMENTO NA HEMODIÁLISE” ,  seja sincero, quantos se interessariam em ler este artigo atraídos pela incomum e inabitual palavra hemodiálise?

Mas o título assim vai, sem tintas de nenhum exagero  conforme o relato dos fatos a seguir comprovará, leia e veja:

Dez filhos de  Pilão Arcado,  três vezes por semana  acordam  as 2h  da madrugada, dirigem-se até o hospital  e as 3h embarcam  numa  van  com destino  a  Juazeiro para   sessões de hemodiálise.

Para que melhor se explique, hemodiálise é o procedimento médico  realizado com o auxílio de  equipamento devidamente preparado para realizar as funções que os rins já não tem capacidade, que é a  filtragem do sangue.

Três vezes por semana elas viajam,  percorrendo o total de 550 km por viagem (distância de Pilão a Juazeiro);  1.650 km por semana ; 6.600 km por mês ou 85.800 km ao ano!

85.800 km ao ano, amigos , o equivalente a 40 viagens de Pilão Arcado a  São Paulo (estimada em 2.141 km cada )  o que significa dizer que os pobre infelizes estão rodando quase o equivalente a  uma viagem Pilão/São Paulo  ao dia! ( na verdade 0,76%)!!

Traduzindo em tempo, esses 85.800 km rodados ao ano, na média de velocidade de 90km/h, significa dizer que os pobres coitados gastam 953 horas em viagens   indo e retornando  de Juazeiro, ou quase 40 dias inteiros dentro da van!

Se na conta do tempo perdido formos computar o período que compreende o horário de saída,  3h , até a chegada, 19 h,  chegamos ao número absurdo de 2.496 horas por ano , ou 104 dias por ano, portanto  3 meses e dez dias!

Dentro da van 40 dias e o tempo total perdido por ano nesse processo, 104 dias!.

Infelizmente, porém,  não é tudo, há mais sofrimento:

Quando chegam em Juazeiro, as sessões começam para alguns as 7h perdurando até as 11h, para outros iniciam as 11h e prosseguem até as 15h.

Terminada a sessão após  4 longas horas,   o combalido  paciente sai em frangalhos, fraco, cambaleante como bêbado (há quem desmaie e há quem precise de cadeira de rodas pra sair) então recebe sua marmita, fria, que será digerida, acredite, debaixo de um pé de árvore na rua em frente á clinica, QUE NÃO TEM ABSOLUTAMENTE CULPA NENHUMA POR ESSA SITUAÇÃO.

Isso mesmo, fria, de pé, debaixo de um árvore na rua, porque em Juazeiro não há casa de apoio para as pessoas de Pilão Arcado que estejam em tratamento médico, como certamente deveria existir.

Depois que a última turma sai, então é hora de o motorista da vice-prefeita Ednália Santana, proprietária de fato  da van, ar condicionado desligado retornar a Pilão Arcado.

Sem ar condicionado.Imagine, calor de 35 graus  fora, dentro da van uns 43 graus, isso para pessoas que estão nas condições físicas que você   pode imaginar.

Agora, por que a van da vice prefeita não liga  o ar condicionado ? Não dispõe? Não liga pra não gastar mais óleo diesel? Insensibilidade? Não sei, mas o fato é que não ligam o ar.

Os bancos? Duros como tábua, noventa graus, eretos!

Na viagem de volta, as 7  e até  8 horas da noite,  vencidos mais 270 km e três horas  a van começa a entrar nas ruas de Pilão Arcado completando seu ciclo, 16, 17 horas depois que as pessoas saíram de casa.

Assim, uma pergunta se impõe:  por quanto tempo, já fragilizados e alquebrados pela enfermidade,  agüentarão  esse verdadeiro drama e massacre?

Com urgência Pilão Arcado precisa olhar para esses coitados  e implantar uma clínica ainda que pequena , que até uma máquina seria  suficiente,  para poupar esses coitados filhos de Deus desse massacre!

Ou Pilão Arcado poderia fazer como Campo Alegre, que não utiliza esse sistema de levar e trazer as pessoas, mas as ajuda pagando  o aluguel delas em Juazeiro.
Alguma coisa precisa ser feita para retirar esses pobres infelizes desse massacre quase cotidiano.

Quanto a van da vice prefeita Ednália , registrada em nome do motorista,  com contrato constando  em nome de sua empregada doméstica usada  como laranja desde o início do governo participativo há 7 anos, uma palavra apenas:   é hora de dar um basta no poder desse grupo que se autodenomina “governo participativo da casa de Porfírio” que massacra o povo sem piedade há quase 30 anos.

Pilão não agüenta mais os seus lobos sanguinários que festejam no poder enchendo as burras de dinheiro  ás custas do sofrimento do povo indefeso e  estão a  construir patrimônio de baronato: postos de gasolina, depósito de construção, aquisição de carros de  luxo, casas, chácaras, enquanto  povo padece agruras;

Não agüenta mais a indiferença dos que se autodenominam    “representantes do povo” sem de fato sê-lo;

Não agüenta mais o cinismo dos que se autodenominam “oposição” quando na verdade não passam de fracos concorrentes cínicos;

Não agüenta mais a injustiça que campeia, o sofrimento que oprime, a impunidade e a injustiça que enfraquecem a esperança,  espalhadas por delegacia, fórum, prefeitura, câmara e todos os lugares onde apenas os membros do “governo participativo” tem vez e voz.

Hoje o sofrimento é dos dez, mas entre eles poderia estar nosso  pai, mãe, ou eu  e talvez você.

Não se engane: a injustiça que, hoje,  primeiro bate na porta alheia,  amanha poderá visitar a nossa.

Que Deus nos ajude nos ajude sempre, nós, que somos de Deus, devemos ajudar os nossos irmãos que hoje sofrem.





_____________________________________
Qual é a distância entre Sao Paulo - São Paulo, Brazil e Pilão Arcado - Bahia, Brazil?
Distância em linha reta: 1560 Km
Distância por estradas: 2141 Km
Postagens mais antigas Página inicial

Copyright © Blog do Perez

Designed by Thais